Pacto contra a fome

Lançado no dia 23 de maio, o Pacto Contra a Fome é um movimento suprapartidário e multissetorial que tem como objetivo engajar as pessoas para acabar com a fome de maneira estrutural e permanente e reduzir o desperdício de alimentos no Brasil. A iniciativa pretende atuar de forma conjunta e estruturada por meio da inteligência e dados, articulação de indivíduos e organizações, bem como incentivos a melhores práticas que erradiquem a fome e reduzam o desperdício de alimentos em toda a cadeia.

O lançamento do Pacto contou com a presença de lideranças do governo, academia, empresariado, entidades não governamentais e religiosas, entre outros. Na ocasião, também foi lançada a campanha “Com Fome não Dá” que será veiculada nacionalmente em mídia impressa, digital e TV e que conta com a participação de artistas como Criolo, Ivete Sangalo, Formiga, Marcelo Adnet, Ana Maria Braga, Pequena Lo, Naiara Azevedo e Ivan Baron.

Para Geyze Diniz, cofundadora e presidente do Conselho do Pacto Contra a Fome, “não podemos nos conformar que tantos brasileiros continuem passando fome em 2023, com tantos saberes e tecnologias disponíveis. É incoerente, um dos maiores produtores e exportadores agrícolas no mundo, ainda ter cidadãos passando fome e, ao mesmo tempo, desperdiçar alimentos desde o campo à mesa”. Luciana Quintão, fundadora e presidente da ONG Banco de Alimentos e do Projeto Inteligência Social é uma das cofundadoras do Pacto.

Dados sobre o desperdício de alimentos no Brasil

Em 2022, cerca de 33 milhões de brasileiros estavam em situação de fome, o nível mais grave de insegurança alimentar já registrado no país. A insegurança alimentar é a situação em que a pessoa não tem comida, nem dinheiro para comprar, ou quando só faz uma refeição diária ou, pior ainda, fica um dia ou mais sem comer nada. Desde 2018 este número tem crescido e, com a pandemia, o cenário ficou ainda mais dramático.

Em 2021, foi realizado um estudo em parceria com a Integration Consulting para analisar as causas da fome e entender como se dá o desperdício de alimentos, na tentativa de se estabelecer uma relação direta entre ambos os fatores.

O estudo mostrou que, dentro desta realidade, existem alguns grupos mais vulneráveis perante a fome que são: famílias chefiadas por mulheres (19,3% do seu total), população pretas e pardas (18,1% de seu total) e população urbanas (15% do seu total).

“Em relação ao desperdício de alimentos, temos um grande apagão de dados. Não há estudos com metodologia de mensuração integrada que contemple todos os elos da cadeia alimentar e que permita fazer o mapeamento completo do problema. No entanto, com base nos dados existentes, estimamos que cerca de 55 milhões de toneladas de alimentos são desperdiçadas anualmente, desde a produção até a casa do consumidor”, explica Geyze Diniz.

Conforme revela o diagnóstico, o total estimado do desperdício supera em oito vezes o déficit alimentar dos que têm fome.

“A principal conclusão do estudo é que a fome e o desperdício de alimentos são problemas distintos. A fome é um problema estrutural e precisa ser endereçado como tal, a partir de políticas públicas nos três níveis da federação e de uma sociedade civil engajada. O estudo também nos mostra que tem boas iniciativas já atuando nisto e que precisam ter mais sinergias. Ao mesmo tempo, a questão do desperdício deve nos gerar um inconformismo ainda maior e pode ser uma alavanca de ação no combate à fome”, conclui Geyze.

O papel da ONG Banco de Alimentos nessa luta

Por esta ótica apresentada no lançamento do pacto, o trabalho desenvolvido pela ONG Banco de Alimentos é de extrema valia para o combate à fome no estado de São Paulo, pois engaja o setor produtivo, as empresas de comércio e distribuição de alimentos, o produtor rural, bem como a sociedade civil, por meio de campanhas onde todos podem ajudar dentro de suas possibilidades.

Além de recolher os excedentes dos alimentos não comercializados e operacionalizar a doação às instituições cadastradas, a ONG faz campanhas permanentes que possibilitam que pessoas físicas façam doações também em dinheiro, cartão-alimentação e cestas básicas, o que é fundamental para complementar o escopo de ações programadas mensalmente. Veja como ajudar clicando aqui.

Missão, visão e os pilares de atuação do Pacto Contra a Fome

O movimento tem como visão não ter nenhuma pessoa com fome no Brasil até 2030 e, para 2040, pretende que todas as pessoas no país estejam bem alimentadas.

Cabe ao Pacto Contra a Fome dar visibilidade, promover e criar sinergias entre iniciativas existentes em relação aos temas fome e desperdício de alimentos, atuando em parceria com diferentes atores da sociedade. Na questão da fome, o trabalho em conjunto com o governo se faz imprescindível.

 

Para isso, a iniciativa atuará em três pilares distintos:

 

● Inteligência: consolidar e disseminar conhecimento e dados sobre os problemas e as soluções para a fome e o desperdício de alimentos, contribuindo
com a mensuração de impacto e a construção de sinergias por meio da tecnologia. Para isso foi criado o Hub Pacto Contra a Fome, plataforma de
inteligência que tem como intuito reunir todas as iniciativas que já atuam na causa, independente do setor e local de atuação, dando visibilidade e
promovendo conexões.

 

● Articulação: dialogar com o governo e a sociedade civil para o fortalecimento de políticas públicas e práticas sociais voltadas à segurança alimentar e à
redução do desperdício, com base em dados, evidências e a escuta das necessidades da população.

 

● Incentivos: reconhecer e promover iniciativas já existentes para o combate à fome e ao desperdício. Além disso, desenvolver mecanismos que estimulem o
setor privado e o mercado financeiro a agirem no tema. Promovendo o aspecto Social dentro do ESG Prêmio Pacto Contra a Fome

 

Junto com o Pacto, foi lançado oficialmente o Prêmio Pacto Contra a Fome. Em cooperação com UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a
Ciência e a Cultura) e FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura), o prêmio tem como objetivo dar visibilidade e reconhecer as iniciativas que trabalham no combate à fome e/ou ao desperdício de alimentos no Brasil.

 

A premiação será concedida aos projetos que se destacarem nas categorias Combate à Fome, Redução ou Reversão do Desperdício de Alimentos e Promoção da Segurança Alimentar, dentro das subcategorias assistencialista de curto prazo e estrutural permanente.

 

Para participar é necessário cadastrar a iniciativa no Hub Pacto Contra a Fome e, em seguida, preencher o formulário específico do Prêmio. O período de inscrição será de 23 de maio até 10 de julho. O anúncio das seis iniciativas vencedoras será feito em outubro deste ano e os ganhadores receberão R$ 100 mil cada.

Outros Posts ONG BANCO DE ALIMENTOS

Instagram1

Inscrição para novas entidades sociais

A ONG Banco de Alimentos está selecionando novas entidades sociais para compor seu time de organizações assistidas no programa de Colheita Urbana. COMPETÊNCIAS DA ONG Banco de Alimentos I- Distribuir…
oba_bancodealimentos_receita_

Torta Integral com Casca e Talos de Legumes

INGREDIENTES Recheio: 1 cenoura com casca; 1 abobrinha italiana com casca; ½ brócolis comum com talos e folhas; 1 cebola grande; 2 dentes de alho; 1 colher (sopa) de azeite…
Banne_Massa ao molho pesto de ramas de cenoura

Massa ao molho pesto de ramas de cenoura

INGREDIENTES: Ramas de 4 cenouras1 maço de manjericão150 ml de azeite1 dente de alhoParmesão ralado a gostoSal a gostoPimenta do reino a gosto500g de macarrão parafuso   MODO DE PREPARO:…