MORANGO AZUL CHEGA PARA CONSERVAR OUTRAS FRUTAS

Em breve, produto deve estar nas gôndolas do Zaffari.

Por: Adriana Zottis

Ela foi para a Austrália em 2014 para ajudar no restaurante de comida mexicana do irmão. “Eu lavava pratos e ajudava no pré-preparo de receitas como guacamole”, lembra a canoense Fernanda Knebel, hoje com 28 anos. Mas quando não estava na cozinha, ela explorava a cidade e acabou descobrindo algo que chamou sua atenção: um produto para conservar frutas.

Depois de seis meses, de volta ao Brasil para estudar Administração, um professor incentivou-a a investir na ideia que não saía de sua cabeça. “Em 2016 eu estava com o modelo de negócio pronto e, em maio deste ano, lancei a Quíper Fresh”, conta a jovem empreendedora.

O Morango Azul, primeiro produto da empresa, é capaz de aumentar em até três vezes a vida útil de frutas, legumes e verduras. O segredo é um componente que inibe a ação do gás etileno liberado pelos alimentos e responsável pela transição do verde para o maduro e do maduro para o estragado. Basta colocá-lo na geladeira ou na fruteira, próximo dos alimentos. As vendas começaram tímidas, pela internet, e agora ela já está em negociação com a rede Zaffari para definir qual a melhor forma de exposição do produto nas lojas.

“A Quíper está crescendo muito rápido”, diz Fernanda. Tanto que, recentemente, uma pesquisa apontou a empresa como uma das 300 startups mais inovadoras do país no segmento food tech. A empresa ainda não possui sede própria e atua em parceria com a Forte Indústria e Comércio de Artefatos Plásticos, de Canoas, que desenvolveu a matriz para a produção do Morango Azul e é responsável pela produção, estoque e logística.

O formato de morango, segundo ela, foi pelo fato da fruta ser uma das mais sensíveis e fáceis de estragar. E o azul? “Foi para chamar a atenção mesmo, pois não existe na natureza nenhuma fruta azul”, relata.

A principal motivação de Fernanda para desenvolver o produto foi a possibilidade de contribuir para a redução do desperdício de alimentos que, no Brasil, segundo ela, chega a 50% de tudo que é colhido. “Temos 7 milhões de pessoas passando fome e jogamos comida no lixo. O que fez meu olho brilhar foi a oportunidade de poder salvar uma fruta por mais um dia”, diz a empresária.

Com uma proposta ambientalmente responsável, ela destaca que o refil que acompanha o produto – e que deve ser trocado periodicamente – serve como adubo para as plantas. O próximo passo é ampliar a atuação para o B2C onde, segundo ela, há um grande potencial a ser explorado. E também dar início ao desenvolvimento de novos produtos com a marca Quíper Fresh.

REPRODUÇÃO

Foto: Quíper Fresh

Outros Posts ONG BANCO DE ALIMENTOS

rony-meisle-e-alexandre-birman_1_33666

Estado de Minas – Gestão com propósito

Em entrevista ao jornal Estado de Minas (04/09), Rony Meisler, cofundador do Grupo Reserva e CEO da AR&Co, destaca o projeto 1P5P de combate à fome, desenvolvido com a ONG…
crianças

OBA e escolas juntas para um mundo mais sustentável.

 ONG Banco de Alimentos mobiliza crianças e jovens nas escolas para atividades relativas ao Dia Mundial da Alimentação, em 16 de outubro.   811 milhões de pessoas vivem em estado…
EnglishPortuguese