Uma lei em vigor na França desde 2016 proíbe que supermercados joguem fora o excesso de comida, devendo estes ser doados para entidades que os reivindiquem. De lá pra cá a iniciativa ganhou força para que medidas similares sejam adotadas no restante da Europa.

No Brasil, diversos projetos tramitam no Congresso Nacional com o objetivo de combater o desperdício de alimentos, atualmente estimado em 40 kg ao ano por habitante, de acordo com uma pesquisa realizada pela Embrapa em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Pensando nisso a enquete da semana do TopMídiaNews quer saber: você acha que o Brasil deveria copiar a iniciativa? Para 98% dos participantes a iniciativa deve sim ser adotada em nosso país, enquanto somente 2% dos votantes discordam da medida que visa reaproveitar alimentos descartados, mas que ainda estejam em condições de consumo próprio para seres humanos.

A enquete ficou uma semana no ar e representa a opinião dos leitores.

‘Prato feito’ lidera o ranking de alimentos desperdiçados

A pesquisa da Emprapa realizada em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV) aponta que os alimentos mais desperdiçados no Brasil são: arroz (22%), carne bovina (20%), feijão (16%) e frango (15%) com os maiores percentuais relativos ao total desperdiçado pela amostra pesquisada.

Prato feito é o grande ‘vilão’ do desperdício (Foto: André de Abreu)

Combate ao desperdício começa em casa

A ONG France Nature Environnement lembra que um terço da produção alimentar mundial vai parar nas lixeiras, isso resulta em um total de 1,3 bilhão de toneladas de alimentos. Para lutar contra o problema algumas medidas podem ser adotadas nas residências, como planejar as refeições antes de fazer compras, conferir o que resta dentro dos armários e geladeira para não correr o risco de comprar os mesmos produtos sem necessidade.

Além de não cair em promoções tentadoras que oferecem muitos itens por menos e evitar ir ao supermercado com fome, já que “quando temos fome, a tendência é que compremos bem mais do que precisamos”, diz à rádio France Info Eléonore Kubik, membro da ONG.

Adotar medidas simples em casa ajudam a evitar o desperdício de alimentos e também reduzir o volume de lixo produzido (Foto: Wesley Ortiz)

Reprodução

Imagens 

EnglishPortuguese